Mostra de Cinema Noutras Falas

Produção da AO NORTE e CINECLUBE de Avanca

Alice Fátima Martins e José da Silva Ribeiro

(Curadores)

 

Não tenho sentimento nenhum politico ou social. Tenho, porém, num sentido, um alto sentimento patriótico. Minha pátria é a língua portuguesa.

(Fernando Pessoa)

 

Mostra de Cinema Noutras Falas traz um conjunto de filmes que, embora concebidos e realizados por falantes da língua portuguesa, portam diferentes sotaques, sonoridades, visualidades e questões. Assim, as outras falas reportam, no contexto de Cinema Documentário Brasileiro, filmes realizados em Portugal, Moçambique, Angola e Guiné-Bissau. A mostra constitui o preâmbulo para o possível alargamento do PirenópolisDoc para os filmes da nossa língua comum com variações/variantes culturais que só enriquecem a experiência do encontro.

Os eixos catalisadores dessas produções são dois: a associação AO NORTE e o CINECLUBE de Avanca.  Ambos têm marcado a cena portuguesa pela regularidade e abrangência de seus projetos, envolvendo produção, veiculação, educação, e o estabelecimento de redes de pesquisadores e realizadores no âmbito do cinema.

AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual, fundada em 1994, é uma entidade sem fins lucrativos que tem por finalidade a produção e a divulgação das imagens em movimento, bem como a cooperação para o desenvolvimento das áreas de ensino, educação e cultura. Suas atividades têm três vertentes principais: a divulgação de cinema, a produção de documentários e a formação. Além disso, criou e gere um portal na internet, o LUGAR DO REAL, um sítio de visualização de documentários, de filmes e vídeos escolares e de fotografia documental, disponibilizados para fins pedagógicos, de investigação e culturais.

A Associação organiza, anualmente, os Encontros de Cinema de VianaFILMES DO HOMEM – Festival Internacional de Documentário de Melgaço. É à volta de três palavras-chave, Identidade, Memória e Fronteira, que FILMES DO HOMEM se desenha e encontra a sua própria identidade. A AO NORTE fundou, juntamente com outras cinco associações europeias ativas na intervenção cultural e social, o YEAD – Young European (Cultural) Audience Development, um projeto que, através do cinema, permite a jovens criadores de vários países trabalharem em novas estruturas culturais e em conteúdos, através de um programa de workshops paralelos e intercâmbios.

Nesta mostra, serão apresentados três filmes produzidos pela AO NORTE e rodados no norte de Portugal e em Angola: ÁGUAS EM CONTA (HD, 52’, 2012), de Carlos Eduardo Viana; MAMÃS DO PAPELÃO (35′, 2013), de Carlos Eduardo Viana e Nuno Cristino Ribeiro; e OURO DE LEI (HD 01:52:44, 2013), de Carlos Eduardo Viana. São, pois, outras falas que nos trazem histórias de lugares, sonoridades e falares diversos.

O CINECLUBE de Avanca foi criado em 1977, e em 1982 ganhou escritura pública. Trata-se de um cineclube que produz filmes; organiza o Festival Internacional de Cinema de Avanca (o maior dessa natureza em Portugal); edita livros; organiza a Conferência Internacional de Cinema – Arte, Tecnologia, Comunicação; oferece formações; e faz programação de cinema, numa diversidade de temáticas e atividades. Em 2017, AVANCA é sufragado na realidade de 21 edições, sendo 20 anos no formato que apresenta atualmente: milhares de filmes, multiplicados espaços de trabalho, primeiros filmes e primeiras exibições, centenas de comunicações, encontros, projetos, desdobramentos.

Produzidos pela Filmógrafo, ligada ao CINECLUBE Avanca, os filmes “ÁFRICA ABENÇOADA”, de Aminata Embaló, produzido em Portugal e Guiné-Bissau (HD, 52’, 2014), e A RIA, A ÁGUA, O HOMEM…, com direção de Manuel Matos Barbosa, produzido em Portugal (HD, 5’, 2010), completam a programação desta mostra.


África Abençoada

“África Abençoada” (2014), de Aminata Embaló, é um filme produzido pelo Cineclube de Avanca, Filmógrafo (Portugal) e Água Triangular (Guiné-Bissau). Quintino Na Pana representa uma geração de jovens guineenses que vivem o país no período pós-independência. Sua geração testemunhou a degradação do país, no âmbito da gestão do Estado, e também em relação ao patrimônio ​social, cultural e de infraestrutura. No filme, são tratadas as dificuldades que os jovens enfrentam, sem, contudo, perder as esperanças em um futuro melhor. Por isso não desistem de lutar em nome de um bem comum. África Abençoada é mais do que uma viagem por quatro países africanos, é, sobretudo, uma viagem pelas condições precárias em que vivem os jovens adultos guineenses.


Águas em conta

Águas em Conta acompanha a divisão da água de rega na Montaria (S. Lourenço), uma freguesia onde essa partilha é uma tradição ancestral, ainda hoje visível nos seus vários lugares. Regista o depoimento de responsáveis pela gestão da água e de agricultores que a utilizam, bem como os trabalhos comunitários que lhe estão associados, como a limpeza e a manutenção dos regos, levadas e espaços de retenção da água.


A Ria, a Água, o Homem

“A Ria, a Água, o Homem…” (2010) é um documentário de animação em que Manuel Matos Barbosa reinventa a Ria de Aveiro num inesperado desenho animado a preto e branco, inspirando-se e recriando as paisagens e as gentes de entre Ovar e Torreira.


 Mamãs do Papelão

Teresa abre-nos a janela da sua casa, da sua vida. Fala-nos da família e do bairro. Do passado e do futuro. Da realidade e do sonho. É o olhar de Teresa que nos prende, que nos guia e revela o que é ser Mamã, no Bairro do Papelão, no Uíge, em Angola.


Ouro de Lei

Ouro de Lei aborda a importância das peças tradicionais em ouro na cultura popular, testemunha a evolução do seu uso na região, a utilização como elemento ornamental ou como moeda de troca nas operações de compra e venda, e o seu simbolismo e fonte de inspiração na criação de peças contemporâneas. O fabrico artesanal de algumas peças emblemáticas fica documentado no trabalho minucioso dos artesãos da Póvoa de Lanhoso e de Gondomar.