CONEXÕES IBERO-AMÉRICA: CONSTELAÇÃO GUZMÁN

“Um país que não tem cinema documentário é como uma família sem álbum de fotografia” – Patrício Guzmán

A mostra Conexões Ibero-América é uma continuação do trabalho que o PirenópolisDoc iniciou em 2017, com a realização da Mostra Noutras Falas, que exibiu filmes falados em língua portuguesa com os diferentes sotaques, sonoridades, visualidades e questões vindos da Angola, Guiné-Bissau, Moçambique e Portugal.

Em 2018, ampliamos o nosso desejo de conexão com mais falas e, por isso, a partir desta edição iremos fazer ecoar também as vozes ibero-americanas. Pra pra começar, escolhemos homenagear a América do Sul, com uma mostra do diretor chileno Patrício Guzmán, cuja obra nos é fonte de inspiração.

Filmes: 

 

ALFREDO

9’ | Chile | 2015

Um século antes de Pinochet lançar prisioneiros políticos no mar, os nativos da Patagônia foram eliminados pela chegada do homem branco. Indígenas foram mortos por caçadores ou morreram das doenças trazidas pelos colonizadores. Durante milênios, os índios navegaram pelos mares da Patagônia em frágeis canoas de madeira.

 

ASTRÔNOMOS DO MEU BAIRRO

14’ | Chile | 2010

Uma sociedade de astrônomos amadores, “El club de los telescoperos”, fabrica seus próprios instrumentos no Chile. São pessoas do bairro, modestas. Fazem as cúpulas, espelhos, tripés e todas as peças de um observatório moderno com suas próprias mãos, seguindo o modelo dos grandes dispositivos que estão no deserto de Atacama.

 

 

JOSÉ MAZA, O VIAJANTE DO CÉU

13’ | Chile | 2010

O enigma dos buracos negros, o mistério das explosões galácticas, a “energia escura” e os canais marcianos são os temas favoritos do astrônomo José Maza, um cientista de renome mundial e professor com senso de humor

 

 

MADRI

41’| Chile | 2002

A 600 metros de altura e no meio do planalto castelhano (na região central da Espanha) ergue-se uma cidade luminosa com um céu intensamente azul. O sol projeta sombras negras que parecem desenhadas com tinta chinesa. É uma cidade cheia de vida onde existem 20 tipos diferentes de pães para acompanhar o café e onde há 10 tipos de torrone para saborear. E a cada 300 metros há um bom bistrô para saborear diversas “tapas” que você pode puxar esticando o braço. Se come, se bebe, se fala e alguns até dançam flamenco. Tem um mercado gigantesco que abre aos finais de semana, “El Rastro”, onde você pode comprar de tudo. Tem duas grandes pinacotecas onde se encontra o melhor de Velázquez, Goya, Jerónimo Bosch, etc. É uma cidade onde todo fim de semana parece haver uma festa coletiva, onde pessoas de todas as idades se encontram. É uma cidade moderna, mas sob o seu solo existem ruínas romanas, gregas, árabes e judaicas. Madri é uma das cidades mais cosmopolitas da Europa. No entanto, é uma metrópole com a atmosfera de um povo de província.

 

MARIA TERESA E A ANÃ MARROM

12’| Chile | 2010

Uma astrônoma chilena foi a primeira a descobrir uma “anã marrom” se movendo pelo universo. Essa descoberta exige uma paciência extraordinária. Ele recebeu o National Science Award e tornou-se famosa nos círculos astronômicos ao redor do mundo. Sua paciência é o resultado de seus dois hobbies pessoais: tecer tapetes de lã e procurar nas praias, ágatas trazidas pelo Oceano Pacífico.

 

 

NOSTALGIA DA LUZ

90’| Chile | 2010

No deserto de Atacama, astrônomos de todo o mundo se reúnem para observar as estrelas. Nessa região do Chile, a três mil metros de altitude, o calor do sol mantém intactos restos mortais de seres humanos. Ao mesmo tempo em que os astrônomos pesquisam as galáxias em busca de vida extraterrestre, um grupo de mulheres procura os corpos de parentes perseguidos durante o período da ditadura militar de Pinochet. 

 

O BOTÃO DE PÉROLA

82’ | Chile | 2015

O Oceano Pacífico contém a história de toda a humanidade. Dentro, estão as vozes da Terra e também as vozes que vêm do espaço. A água recebe o impulso dos planetas e o transmite a todas as criaturas… O Chile, com seus 4.000 quilômetros de costa, nos propõe uma paisagem terrestre e humana inquietante. Aqui existem milhares de fiordes e cascatas de gelo. Aqui estão as vozes dos povos indígenas da Patagônia, dos primeiros navegadores ingleses e também dos presos políticos da ditadura de Pinochet. Alguns dizem que a água tem memória. Este filme demonstra, claramente, que também tem voz.

 

 

OSCAR SAA, O TÉCNICO DAS ESTRELAS

10’| Chile | 2010

Nos observatórios astronômicos há pessoas que nunca olham para o céu. Nãoconhecem a escuridão do cosmos. Trabalham durante o dia… São os mecânicos, os especialistas, os engenheiros altamente qualificados que cuidam e reparam as máquinas que dão vida aos telescópios.

 

Curador:

 

Rafael de Almeida

Realizador e Pesquisador de Cinema e Audiovisual. Professor do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estadual de Goiás – UEG. Doutor em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas – Unicamp. Dirigiu alguns filmes de curta-metragem, entre os quais: Para Não Esquecer (2016), Carrossel (2013), A Saudade é um Filme Sem Fim (2009) e Impej (2007). Seus interesses artísticos e científicos estão centrados hoje nos diálogos entre o cinema documentário, o filme-ensaio e o found footage.

 

Agradecimento:

Atacama Productions