RETROSPECTIVA HELENA SOLBERG

 Helena Solberg nasceu no Rio de Janeiro, em 1938. Diretora, Produtora e Roteirista completou mais de cinquenta anos de cinema desde o lançamento de “A Entrevista” (1966), obra seminal que marca sua participação no Cinema Novo brasileiro. Residiu por mais de 30 anos nos EUA, onde integrou o coletivo International Women’s Film Project e realizou uma série de filmes de temática feminista, como “The Emerging Woman” e “A Dupla Jornada”. Nas décadas seguintes dirigiu documentários para emissoras de televisão norte-americanas em países da América Latina, dentre os quais “Das Cinzas… Nicarágua Hoje” (1982), “Chile: Pela Razão ou Pela Força” (1983) e “A Terra Proibida” (1990). Seu retorno ao Brasil acompanhou o lançamento de “Carmen Miranda, Bananas Is My Business” (1994), longa-metragem premiado internacionalmente e produzido por seu companheiro, David Meyer. Em 2004, realizou seu primeiro longa de ficção: “Vida de Menina”. Sua obra mais recente, “Meu Corpo Minha Vida”, aborda um dos debates mais importantes no contexto brasileiro atual, que é o direito ao aborto, completando a trajetória prolífica desta cineasta de singular sensibilidade.
 

 

 

Curadoria
Ceiça Ferreira

Doutora em Comunicação pela Universidade de Brasília (UnB), na linha de pesquisa Imagem, Som e Escrita; Professora e Pesquisadora do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estadual de Goiás (UEG), onde desenvolve atividades de ensino, pesquisa e extensão nas áreas de comunicação e cultura, cinema, raça e gênero.

 

 

FILMES

 

CARMEN MIRANDA: BANANAS IS MY BUSINESS (FILME DE ABERTURA)

Ano: 1994
Direção: Helena Solberg
Duração: 92 min
Classificação: 14 anos
Origem: Brasil

Carmen Miranda: Bananas Is My Business conta a extraordinária história de Carmen Miranda, nascida em Portugal e criada no Brasil e que, em 1939, foi para os Estados Unidos e se tornou a mais famosa brasileira a conquistar as telas de Hollywood. No entanto, para os norte-americanos, ela sempre foi a figura caricata com uma pilha de frutas na cabeça. O filme tenta retirá-la desse estigma, conferindo-lhe o que há de mais fundamental: sua identidade.

 

 

A Entrevista (P&B)

Ano: 1966
Direção: Helena Solberg
Duração: 20 min
Classificação: 14 anos
Origem: Brasil

O filme teve como base uma série de entrevistas feitas pela realizadora com jovens do mesmo meio social. Por trás dessas entrevistas surge um perfil convencional de “mulher”, figura idealizada por certa aura de romantismo, costurado por uma montagem que relaciona questões da opressão feminina com a repressão militar vivida pelo país.

 

 

Meio-dia (P&B)

Ano: 1970
Direção: Helena Solberg
Duração: 11 min
Classificação: 14 anos
Origem: Brasil

Um aluno revoltado imagina um motim onde sua escola é destruída, tendo como contexto o período da ditadura militar e a música de Caetano Veloso “É Proibido Proibir”.

 

 

 

A Nova Mulher

The Emerging Woman
Ano: 1974
Direção: Helena Solberg
Duração: 40 min
Classificação: 14 anos
Origem: EUA

Primeiro filme dirigido pela cineasta nos EUA, A Nova Mulher percorre 170 anos de história do movimento feminista no país e na Inglaterra (de 1800 até 1974), através de diários, manifestos, reportagens, cartas e livros de ativistas. O documentário conta também com fotografias e imagens de arquivo de jornais cinematográficos, inaugurando a série “Trilogia da Mulher”, realizada em conjunto com o coletivo International Women’s Film Project.

 

 

 

A Dupla Jornada

The Double Day/La Doble Jornada
Ano: 1975
Direção: Helena Solberg
Duração: 54 min
Classificação: 16 anos
Origem: Argentina/México/Bolívia/Venezuela

Filmado em fábricas no México e na Argentina, e em minas na Bolívia e Venezuela, A Dupla Jornada examina as condições da mão de obra feminina como força de trabalho na América Latina.

 

 

 

Brasil em Cores Vivas

Brazil in Living Colours
Ano: 1997
Direção: Helena Solberg
Duração: 30 min
Classificação: 14 anos
Origem: Brasil

Brasil em Cores Vivas é um documentário encomendado pelo Channel 4 Television da Inglaterra sobre a nova revista RAÇA direcionada ao público negro brasileiro, fundada pelo jornalista Aroldo Macedo, em 1996. Pensaram na época que a revista não teria leitores, mas RAÇA contrariou todas as expectativas e foi um sucesso imediato.

 

 

Meu Corpo Minha Vida

Ano: 2017
Direção: Helena Solberg
Duração: 73 min
Classificação: 16 anos
Origem: Brasil

Documentário sobre o aborto no Brasil, um assunto controverso e explosivo. O filme acompanha o caso de Jandyra Magdalena dos Santos, personagem chave que nos conduzirá através deste conflito.

 

 

Simplesmente Jenny

Ano: 1977
Direção: Helena Solberg
Duração: 32 min
Classificação: 16 anos
Origem: Bolívia

Três meninas (Jenny, Marli e Patricia) relatam suas histórias de prostituição forçada e suas fantasias de ascensão social, casamento e felicidade, em um reformatório para adolescentes na Bolívia.